quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

(2003)"Bad santa" - O melhor pior filme de Natal de todos os tempos





ATENÇÃO: Esse post é um "remake" de um post antigo escrito em um outro blog do mesmo autor, com algumas pequenas modificações. Depois não digam que não foram avisados 
O pior da programação de Natal da TV aberta, non são as reportagens na 25 de março (diga-se de passagem, sempre as mesmas do ano anterior, só muda a locução), nem os especiais de fim-de-ano (Roberto Carlos, Xuxa, Dr. Renato…). São os filmes. É sempre o Tim Allen querendo ser um papai legal, alguém que não gosta do natal e é convencido do contrário por um ente fantástico, ou é uno filme bíblico (quase sempre o “Jesus de Nazaré” com o Robert Powell, que a Record reprisa até dizer chega) ou a pior de todas as pragas: Una reprise de “Esqueceram de mim” (1 ou o 2 ou pior, 3 e o 4). Isso só dá mais méritos a comédia "Bad Santa"(“Papai Noel às avessas”), que mesmo sendo uno típico filme de Natal, consegue ser um filme diferente de qualquer uno que você possa ter visto.


Esse filme não deixa de ser uno típico filme de Natal, pois também se trata de una pessoa que também passa ver o Natal com outros olhos depois de conhecer una outra muito especial e ter una excelente experiência com ela. O que difere das baboseiras de costume é a forma com que se dá essa experiência regada a palavrões, sacanagem, bebedeira e sarcasmo em doses cavalares.




O filme já começa mostrando uno Papai Noel alcóolatra arrombador de cofres (Billy Bob Thornton em uno papel que quase ficou com Larry David, Bill Murray e Jack Nicholson) vomitando em una lata de lixo depois de una sequência em voice off contando sua vida de merda e de como foi maltratado pelo pai e pela vida. Ele viaja pelos EUA de shopping em shopping trabalhando como Papai Noel apenas para poder roubar a grana do local na época em que as pessoas mais consomem. Seu acompanhante é Marcus (Tony Cox, o anão de “Uma comédia nada romântica”) que, apesar de ser anão, é o “big boss” da dupla (capisce?) pois é mais responsável, non enche a cara, non se distrai com mulheres e graças ao tamanho consegue se enfiar em qualquer lugar. Além de dinheiro, são surrupiadas cosas de luxo para Lois, a mulher de Marcus (Lauren Tom, a china dona da lavanderia em "Monk". Também faz a voz de Amy Wong em "Futurama").










A cada ano que passa, Willie vai ficando mais lento, desleixado e diz que vai largar de vez a vida do crime e abrir uno bar em Miami, mas chega o fim de ano e de novo ele volta a roubar shoppings em companhia de Marcus. Desta vez a ação se passará em uno shopping no Arizona administrado por Bob Chipeska (John Ritter, o mesmo que fez o pai certinho em “O Pestinha 1 e 2" cuja participação nessa bagaça é seu canto do cisne, pois morreria dois meses antes da estréia ), uno gerente de shopping politicamente correto que dá una de bonzinho, mas pede para o chefe da segurança (Bernie Mac, de “As Panteras 1 e 2”, falecido em 2008, aqui também no melhor papel de toda a sua carreira) espionar a dupla de trapaceiros só para ter uno motivo para demití-los, pois tem uno baita medo que o Papai Noel fale palavrão na frente das crianças e caga de medo em imaginar que o anão o processe por práticas desleais caso o demita. Esse homem, que se sentiria bem à vontade se pertencesse a classe média tradicional brasiliana.




A bem da verdade, Chipeska teria motivos de sobra para demitir Willie e Marcus mesmo sem saber que ambos são ladrões de shopping. Além do personagem de Billy Bob viver embriagado (mesmo em serviço) e tratar as crianças com indiferença, em meia hora de filme ele já falou mais palavrão que a Dercy Gonçalves em 103 anos de vida (a palavra "fuck" é proferida 170 vezes durante o filme, ainda distante de "Scarface" com 226 e "Pulp Fiction" com 265). 


Non bastasse isso ainda transa com uma mulher muito gorda no provador da loja para tamanhos grandes falando em alto e bom tom que ela non vai poder cagar por uma semana. Agora você deve ter se convencido de que não é uno filme do Tim Allen, non é mesmo?


Apesar de tudo isso, o chefe da segurança (que come laranja o tempo todo) livra a cara dos meliantes porque, graças a una investigação minuciosa, descobriu o plano dos dois e agora quer ficar com metade de tudo o que roubarem. Ao descobrir que seu esconderijo foi revistado, o breaco Willie acaba tendo que se esconder na casa de uno gordinho bobão chamado Thurman Merman (Brett Kelly que depois faria“Menores Desacompanhados”, um terrível filme de Natal só com "promessas" do cinema como o bambinno que faz o Chris de "Todo mundo odeia o Chris"), que o salvou de quase ser estuprado por uno omossessuale que non teve o seu flerte correspondido. 



O gordo tonto mora com a avó que dorme o tempo todo e só acorda pra jogar futebol com as próprias tetas (isso tá no roteiro do filme). Aos poucos ele vai se afeiçoando pelo bambino e ficando mais mole e com isso torna se uno risco maior ainda para os planos de Marcus. Para completar a turma tem una garçonete (Lauren Grahan de “Gilmore Girls”) que tem una fixação por Papais Noel e uno incrível instinto maternal.



O segredo de um filme insano como esse são as pessoas envolvidas nele. O protagonista é Billy Bob Thornton, o cara que namorava a Angelina Jolie antes do Brad Pitt, na época em que ela só fazia papel de drograda/lésbica/heroína/as três coisas. Os produtores são os irmãos Coen, os mesmos que cometeram outras doideras (“O Grande Lebowski”, “Fargo”, “Queime depois de ler”…). Os roteiristas são Glen Ficarra e John Requa (que cometeram “O golpista do ano”, com o Rodrigo Santoro namorando o Jim Carrey) e o diretor é Terry Zwigoff, famoso pelo documentário sobre a vida do cartunista Robert Crumb (reza a lenda que ele ameaçou se matar caso o Crumb não colaborasse com o filme). Até a comediante Sarah Silverman (a voz original da Vanellope de “Detona Ralph”) aparece em una cena posteriormente deletada. Tem até o "Mike" da série "Mike e Molly" (aquele casal de gordinhos que passa agora no SBT). Non tem uno que preste nessa merda.





Ê Tom Zé! Esse teu filme, hein!
Infelizmente, até onde eu sei, só foi lançada no Brasil a versão com cortes  (que ainda assim mantem a indecência do filme). Se alguém tiver notícias da versão do diretor aqui em Brasúndia, pelos meios oficiais (por download non é difícil encontrar) se manifeste. Você pode ver una comparação entre as duas versões aqui (em inglês). Pode também ver una crítica bem melhor que a minha aqui. E torça para que o bom velhinho tome vergonha na cara e exiba essa pérola na sua emissora de TV (o bom velhinho a qual me refiro é esse.)


UPDATE: O filme passou na madrugada do dia 22/12/2013 na TV Bandeirantes.


Cotação:

8/10 cabeças de cavalo - Melhor que o amigo secreto da firma

Fontes:
http://movie-censorship.com/report.php?ID=4618
http://www.cinereporter.com.br/criticas/homevideo/papai-noel-as-avessas/
http://4.bp.blogspot.com/_ayB_UOMOmWM/TQSjlEoBi2I/AAAAAAAAL2Q/GbIf6ylKakc/s1600/Silvio%2BSantos.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário